domingo, 19 de maio de 2013

Babaca

Tem 10, 15 dias que venho aturando seu bull shit. No começo da semana, decidimos (melhor: VOCÊ decidiu) dar um basta no papo de aranha. 
Hoje, você veio de papo de novo. E, pra variar, eu não estava 100% à disposição. E você, como sempre, se enfureceu. 
Só lamento (não, não lamento. É só jeito de falar) que eu não to disponível pras suas putarias. Só lamento (idem, idem) que eu não to a fim. Só lamento que sua maturidade não te deixa fazer mais nada, além de birra infantil. 
Você ficou chato. E desagradável. E enjoado. 
Enchi o saco. Por favor, volte pra 1986. 

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

A Cultura quer ouvir você!



A Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro vai reformular a sua Política e quer ouvir a sua opinião, seja você artista, intelectual ou não. Basta ser cidadão para falar com um governo que quer ouvir você antes de tomar uma decisão. Quantas vezes já pediram sua opinião antes?


Em outubro debateremos o que queremos para a cultura de nossa cidade em diversos bairros do Rio de Janeiro. Os temas a serem tratados são:

. artes visuais
. audiovisual
. ciência e arte
. circo
. comunicação e difusão
. dança
. livro e leitura
. música
. patrimônio e memória
. teatro

Você poderá dizer o que gostaria de ver, saber, sugerir, criticar o que achar errado, apoiar o que gosta, fazer valer democraticamente a sua voz.

Não custa nada. Sua opinião é importante. Participe!

Faça sua inscrição pelo site www.rio.rj.gov.br/conferenciamunicipaldecultura

Datas e locais das pré-conferências:

3/10/2009 – 8 às 17h
Bangu – Lona Cultural Hermeto Pascoal, Praça 1º de Maio
Campinho – Escola de Samba Tradição, Estr. Intendente Magalhães, 160
Pechincha – Lona Jacob do Bandolim, Pça. do Barro Vermelho
Andaraí - Escola de Samba Salgueiro, R. Silva Telles, 104
Centro – Teatro Municipal Carlos Gomes, Praça Tiradentes, s/n
Copacabana – Sala Municipal Baden Powell, Av. N.S. Copacabana, 360

4/10/2009 – 8 às 17h
Campo Grande -Auditório da Faculdade UNISUAM, R.Alfredo de Moraes, 548
Olaria - Clube do Olaria, R. Bariri, 251.

17/10/2009 – 8 às 17h
Centro – Teatro Municipal Carlos Gomes, Praça Tiradentes, s/n
Copacabana – Sala Municipal Baden Powell, Av. N.S. Copacabana, 360
Barra da Tijuca - Tenda do Terra Encantada – Av. Ayrton Senna, 2800

segunda-feira, 27 de julho de 2009

LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO À CULTURA

A Prefeitura do Rio de Janeiro lançou os editais da Lei de Incentivo à Cultura de 2009, que prevê a aplicação de parte do Imposto sobre Serviços (ISS), em patrocínio de projetos culturais selecionados pela Comissão Carioca de Promoção Cultural. Há um edital para produtores culturais e outro para empresas interessadas em usar esse benefício fiscal. Podem se inscrever produtores sediados no Rio de Janeiro há pelo menos um ano e com experiência mínima comprovada de 3 anos. Os projetos poderão ser integral ou parcialmente financiados com recursos da Lei, de acordo com decisão da Comissão, mas poderão receber aporte de outros patrocinadores ou de outras leis de incentivo. As propostas podem ser feitas em sete áreas:1)música e dança2) teatro e circo3) cinema, fotografia e vídeo4) artes plásticas5) literatura6) folclore e artesanato7) preservação e restauração do acervo cultural e natural.O prazo de inscrição de projetos vai de 3 de agosto de 2009 a 30 de outubro de 2009. A decisão da Comissão será divulgada até o dia 30 do mês subseqüente à entrega do projeto, ou seja, quem entregar em 3 de agosto terá a resposta até 30 de setembro. Quem entregar em 30 de outubro terá a resposta até 30 de novembro. As empresas podem usar até 20% (vinte por cento) do ISS devido, com um teto de R$ 1 milhão por empresa, para patrocinar projetos indicados pela Comissão. E poderão financiar mais de um projeto. Para usar o benefício fiscal, a empresa deve inscrever-se junto à Prefeitura. O prazo de inscrição vai de 3 a 31 de agosto de 2009.

Para acessar o edital para Contribuintes, clique aqui:

http://noticiascultura.rio.rj.gov.br//downloads/dl602-1.zip

Para acessar o edital para Produtores, clique aqui:

http://noticiascultura.rio.rj.gov.br//downloads/dl602-2.zip

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Pra morrer de rir na Lona Elza Osbourne



O espetáculo de humor despojado dos comediantes Fernando Caruso, Cláudio Torres, Paulo Carvalho, Léo Lins e Fábio Porchat vai fazer a Lona Municipal Elza Osborne chorar de tanto rir.

Hoje às 21h.

Estrada "Rio" A, 220 - Campo Grande

Ingresso: R$ 20,00

sábado, 11 de julho de 2009

Qual é a sua viagem?

Dica do blogastronomix.


Por Rosualdo Rodrigues

Viver é muito bom, mas, vamos combinar: tem hora que é difícil... E para tornar menos penosa a viagem nessa estrada ora “um tapete”, ora esburacada, cada um acaba arranjando seu escape. Há quem vá à igreja, há quem prefira ir às compras; há quem se ligue no futebol, há quem gaste o tempo planejando viagens; há quem queira estar sempre apaixonado, há uns que têm mania de mentir (e acreditam no que inventam); há quem se afogue no álcool e há quem vague na fumaça da marijuana... Minhas drogas são duas: música e cinema. E a viagem é potencializada quando se misturam uma e outra.

Até hoje sinto o eco da viagem de ter assistido a Os embalos de sábado à noite (vez em quando repito a dose, vendo em DVD, e me arrepio com a cena em que Travolta dança Night fever), Perdidos na noite (não é musical, mas não tem como separar as imagens do filme da música Everybody’s talkin), O fundo do coração (aquele de que falei uma vez, com trilha de Tom Waits, que, aliás, acaba de sair em DVD). E mais recentemente Mamma mia, história bobinha mas que, embalada pela música do Abba, nos faz sair felizes do cinema. Vixe! São tantos....

Tem também aquelas ocasiões em que no meio do filme toca uma música que você conhece e não esperava ouvi-la. A cena fica mais emocionante. Como no francês Instituto de Beleza Vênus, em que se ouve Manhã de carnaval na voz de Maysa numa cena triiiiste. Ou em A vida secreta das palavras, em que toca Hope there’s someone, de Anthony and the Johnsons…. Ou no início de O céu de Suely, quando Diana canta Tudo que eu tenho (bem nessa cena da foto). Ou Fale com ela, em que de repente se ouve Por toda minha vida na voz de Elis Regina. E tem Hong Kong Garden,de Siouxsie and the Banshees, em Maria Antonieta; Everytime we say goodbye, com Annie Lennox, emEduardo II...

Há um terceiro tipo de viagem, quando ouvimos a música pela primeira vez no filme e não conseguimos mais esquecer. Mas, para não me estender em exemplos, deixo que vocês procurem na própria memória as emoções sentidas dessa mistura cinema + música. Aposto que há pelo menos uma….

Dez músicas que conheci no cinema:

1 ) L’amitie, com Françoise Hardy, em As invasões bárbaras
2 ) Blonde, com Guesh Patti, em O livro de Cabeceira
3 ) Burn it blue, com Caetano Veloso e Lila Dows, em Frida
4 ) Sleep, com Marianne Faithfull, em Irmãos
5 ) Time stood still, com Madonna, em Sobrou pra você
6 ) There is an end, com The Greenhornes Feat. Holly Goolightly, em Flores partidas
7 ) Cosmic dancer, com T-Rex, em Billy Elliot
8 ) Crying games, com Boy George, em Traídos pelo desejo
9 ) At last, com Etta James, em Rain man
10 ) How it ends, com deVotchka, em Pequena Miss Sunshine

Marcar com estrelaCompartilharCompartilhar com observaçãoManter como não lido

    terça-feira, 30 de junho de 2009

    ATENÇÃO!!!!!! HOJE É O ÚLTIMO DIA PARA INSCRIÇÃO NO CONCURSO DE MONOGRAFIAS DO ARQUIVO GERAL!!!!


    IV° ANO DO CONCURSO DE MONOGRAFIA
    ARQUIVO DA CIDADE

    PRÊMIO PROF. AFONSO CARLOS MARQUES DOS SANTOS


    Não perca a oportunidade de inscrever-se no Concurso de Monografias promovido pelo Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, órgão da Secretaria Municipal de Cultura/Prefeitura do Rio. Os trabalhos serão rebecidos somente até hoje, às 17 horas.

    Acesse o site www.rio.rj.gov.br/arquivo para saber mais a respeito das normas.


    O Concurso de Monografia Arquivo da Cidade/2009 - Prêmio Afonso Carlos Marques dos Santos de Pesquisa promovido pela Secretaria Municipal de Cultura, através do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, tem por objetivo selecionar uma (1) pesquisa que tome o Rio de Janeiro como tema, quer enfocando o passado da cidade, na linha do resgate histórico, quer tratando de temas do tempo presente, promovendo análises e discussões sobre o Rio Contemporâneo.
    São critérios para julgamento:
    a) relevância do trabalho;
    b) contribuição da pesquisa para divulgação das fontes do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro;
    c) profundidade da análise;
    d) originalidade da abordagem do tema;
    e) coerência no desenvolvimento e na organização do texto;
    f) apresentação, nas citações, transcrições, notas e observações, de referências completas das fontes e bibliografia consultadas.

    segunda-feira, 29 de junho de 2009

    Pai e filho cantam juntos no palco do Teatro Carlos Gomes




    Os artistas Davi Moraes e Moraes Moreira cantam juntos no palco do 7 em Ponto, projeto da Secretaria Municipal de Cultura, no dia 30 de junho às 19 horas (com abertura dos portões às 18h30). Pai e filho dedicam parte do show aos Novos Baianos relembrando sucessos como Acabou Chorare e Bilhete para Didi. O ingresso a preço popular custa R$10.

    O repertório ressalta o lado instrumental dos dois artistas, com Moraes no Violão e Davi no bandolim tocando alguns chorinhos. A apresentação promete emocionar com o clássico Eu sou o caso dele, música que trata poeticamente a relação pai e filho. O show é finalizado com os sucessos de Moraes, como Eu também quero beijar, Bloco do prazer e Preta pretinha.

    Davi Moraes é conhecido por já ter tocado com grandes nomes da atualidade como Marisa Monte, Caetano Veloso, Carlinhos Brown, entre outros. Lançou seu disco solo Papo Macaco em 2002 e Orixá Mutante em 2004 pela Universal Music. Em 2005 participou do projeto Tresloucados ao lado de Preta Gil e Lan Lan. Também dirigiu a trilha musical do Filme Ó paí ó e o bloco com o mesmo nome.

    O projeto tem como objetivo levar música de qualidade para o palco do Teatro Carlos Gomes. O início da entrada do público meia hora antes das “sete em ponto” é uma homenagem ao antigo Projeto Seis e Meia, que inaugurou a tradição de sessões musicais populares em dias de semana no Centro do Rio. O Seis e Meia acontecia no Teatro João Caetano e era um grande sucesso nos anos 70. Recebendo grandes nomes da música brasileira como João Bosco, Clementina de Jesus, Nara leão, Dorival Caymmi, entre outros. A idéia era simples: shows a preços populares na hora em que a multidão se concentrava na Praça Tiradentes, bem na hora do rush, hora de voltar para casa, em que os pontos de ônibus da Praça - um dos locais do Rio com maior rotatividade de pessoas - estavam sempre lotados. Os shows eram uma boa saída para quem quisesse fugir do rush e não tinham opção de lazer. Foi justamente para preencher esta lacuna que Albino Pinheiro, ex-diretor do teatro, criou este projeto, que é um dos mais importantes que o Rio de Janeiro já teve, e por este motivo a Secretaria de Municipal Cultura retoma no Teatro Municipal Carlos Gomes.

    Serviço:
    PROJETO 7 EM PONTO
    Davi Moraes e Moraes Moreira

    Teatro Carlos Gomes – Praça Tiradentes s/n – Centro
    Telefone: 2232-8701
    Data: 30/06/09
    Horário: 19h (abertura dos portões às 18h30m)
    Preço: R$10,00
    Lotação: 685 lugares
    Classificação: a partir de 14 anos
    Os ingressos podem ser adquiridos com antecedência na bilheteria da teatro.